'TANG PING' – VISÕES ÚTEIS | 25/NOV


SEXTA 25 | NOVEMBRO

21h30 | PEQUENO AUDITÓRIO

M/12 | 95 MIN. | 5€/3,5€ + CARTÃO DO TEATRO

'TANG PING'
VISÕES ÚTEIS

um western moderno sobre não ser ninguém

Ana Vitorino, Carlos Costa e Gemma Rodríguez

Bilhetes:
ticketline

"TANG PING, um western moderno sobre não ser ninguém", de Ana VitorinoCarlos Costa e Gemma Rodríguez, coproduzido pelo Teatro Nacional de São João, pelo Teatro Municipal da Guarda e pelo Teatro Municipal de Vila Real.

Uma estação de rádio prepara um programa comemorativo de “A Guerra dos Mundos”, uma obra de ficção científica em que o planeta Terra é invadido por extraterrestres. Mas, ao longo do processo de produção do programa - que pretende refletir sobre o poder dos média -  os promotores e a equipa contratada não parecem estar sintonizados quanto aos objetivos da iniciativa.

“TANG PING, um western moderno sobre não ser ninguém” desenvolve-se em torno de tentativas para contar uma história, falhadas pelo medo do fracasso, o choque das agendas pessoais e as tensões provocadas pelas atuais relações com o trabalho.

O desejo de recriação de “uma noite de rádio, tragédia e morte” vai transformar o estúdio num campo de batalha, onde cada um tem de escolher entre lutar, render-se… ou desistir. 

texto Ana Vitorino, Carlos Costa e Gemma Rodríguez 

direcção Ana Vitorino e Carlos Costa 

cenografia, adereços e figurinos Inês de Carvalho 

banda sonora original e sonoplastia* João Martins 

desenho de luz Pedro Correia 

vídeo e design gráfico Sara Allen 

interpretação Ana Vitorino, Carlos Costa, Inês Filipe, Pedro Roquette; e ainda (voz off) Ana Azevedo, José Barreto, Mário Moutinho 

assessoria artística e de comunicação Carlota Castro 

coordenação técnica e de produção Alice Prata 

produção executiva Pedro Monteiro 

produção Visões Úteis (2022) 

co-produção Teatro Nacional de São João, Teatro Municipal da Guarda e Teatro Municipal de Vila Real 

apoio Acción Cultural Española 

agradecimentos ACE Escola de Artes, MIRA FORUM, Eduardo Camilo, Fábio Ferreira, Fábio Ribeiro, Filomena Valente, Ilda Almeida, Inês Amaral, Hugo Martins, Sílvio Correia Santos



* e ainda "Desesperación" (autoria Francisco Villacrés Falconi),"Que lindo es mi Quito", (autoria Leonardo Páez), “Tang Ping is the right way" (autoria e interpretação Zhang Xinmin), “Deitado é o Caminho (autoria Carlos Costa, João Martins, Leonor Costa, a partir do original de Zhang Xinmin e da tradução inglesa de Alia Goehr; interpretação Leonor Costa, João Martins)

dgartes logo cor

Duração aproximada: 95 minutos

Classificação etária: M/12

Bilhetes: 5€/3,5€ + Cartão do Teatro